direitos humanos, eleições, mulheres

Mulheres chamam, multidões respondem: Brasil pressiona Bolsonaro na reta final da eleição

Manifestação foi protagonizada por mulheres, mas contou com participação diversa e pacífica 

Por Tatiane Alves – Fotografia: Amanda Pinheiro

Rio – A mobilização iniciada pelas mulheres através das redes sociais com a propagação e adesão da hashtag #elenão tomou corpo nas ruas de todos os estados, em mais de 150 cidades do país neste fim de semana. Foi a maior manifestação popular feminista da história do Brasil – ou das brasileiras, uma vez que houve atos em muitos outros países.

Mais uma vez, o centro do Rio foi o ponto de encontro e, sob a liderança das mulheres, uma imensa parcela de cidadãos partiu para o ataque realizando uma verdadeira festa urbana de resistência e luta contra o candidato à presidência, Jair Bolsonaro.

O ato iniciou às 15h e uma grande concentração de pessoas se reuniu na Cinelândia. Nem a Polícia Militar, nem os organizadores divulgaram números estimados de participantes, mas jornalistas acostumados a cobrirem manifestações garantem que o número superou as 100 mil pessoas. Eram principalmente mulheres que protagonizavam os protestos, denunciando os porquês do presidenciável não ser o candidato mais adequado para comandar o país nos próximos quatro anos.

WhatsApp Image 2018-10-01 at 14.05.02.jpeg

Jéssica Rebecca, 22 anos, é vestibulanda e moradora da zona norte. Ela foi incisiva quando entrevistada.

– Esse homem não representa a nós mulheres. Um homem machista, fascista e homofóbico, portanto, não pode ser presidente do Brasil… Eu só consigo imaginar o pior se ele chegar à presidência – enfatizou.

Continue lendo